Buscar
  • Alexandra Sanglard

Por que as Soft Skills importam tanto atualmente?



É fato que as empresas e as suas lideranças estão cada vez mais atentas às soft skills de seus colaboradores. Seja na seleção, na formação de times ou nas avaliações de desempenho, elas se tornaram fatores preponderantes nas tomadas de decisão sobre as pessoas.

Assim, vale a pena entender por que estão ganhando tanta importância e como podem impactar a sua carreira e os resultados da sua empresa.


Mas o que são exatamente as Soft Skills?


As soft skills, também chamadas de people skills, referem-se às habilidades ou competências comportamentais e socioemocionais, em oposição às hard skills, que são competências técnicas ou cognitivas.


As hard skills podem ser facilmente comprovadas ou mensuradas e, ao longo do tempo, têm sido privilegiadas nos processos seletivos. Como exemplo, formações e pós-graduações, assim como especializações e certificações que costumam ter destaque nos currículos dos candidatos. Em algumas áreas, como a de tecnologia, podem ser realmente fundamentais e pré-requisitos para a atuação do profissional.


Entretanto, no cenário atual de constantes mudanças e imprevisibilidade, em que as empresas se deparam com desafios cada vez mais complexos, evidencia-se a necessidade de contar com profissionais mais preparados, não só do ponto de vista técnico, mas sobretudo comportamental.


Um erro muito comum que ainda ocorre em muitos processos de seleção das empresas é o foco exclusivo ou exagerado nas hard skills dos candidatos. Por esse motivo, é comum observar que muitas pessoas são contratadas por seus currículos, mas acabam sendo demitidas por questões de comportamento ou por um problema de atitude.

Isso acontece por uma falta de visão e clareza da importância das soft skills para o sucesso do profissional na função, mas principalmente por certa dificuldade em avaliar ou mensurar as competências comportamentais.


Quais são afinal essas Soft Skills?


As soft skills têm um caráter mais subjetivo, estão ligadas à personalidade do indivíduo, suas crenças e valores e se manifestam sobretudo nos relacionamentos interpessoais. Incluem, entre outras:


· Comunicação;

· Empatia;

· Sociabilidade;

· Resiliência;

· Adaptabilidade;

· Liderança;

· Espírito de equipe;

· Solução de problemas;

· Dinamismo;

· Inteligência emocional;

· Ética.



Num ambiente de negócios em que a transformação e a inovação se tornaram condições de sobrevivência das empresas, o fator humano ganha destaque e pode impactar significativamente o ambiente e os resultados.


Um estudo da Deloitte aponta para uma tendência crescente de maior valorização das soft skills à medida em que a tecnologia, a globalização e as mudanças demográficas continuem a fomentar a competitividade dos negócios. Indicam a necessidade de um mix adequado entre as hard e as soft skills e preveem que as ocupações intensivas em soft skills representarão 2/3 de todos os empregos em 2030.

Mais do que nunca elementos como engajamento, colaboração e propósito fazem parte da agenda das lideranças das organizações e estão intrinsicamente ligados às habilidades comportamentais dos seus colaboradores.


Enquanto as hard skills são aprendidas, através de cursos e treinamentos, sendo mais facilmente identificadas, as soft skills precisam ser investigadas e podem ser desenvolvidas através de acompanhamento, coaching e feedback contínuos.


Para identificar as soft skills existem ferramentas como os questionários de perfil comportamental, muito utilizados nos processos seletivos e de desenvolvimento realizados nas empresas. Embora apresentem uma confiabilidade muito boa, devem ser validados através de entrevista com o candidato ou colaborador.


De qualquer modo, cabe ao indivíduo ser proativo nesse processo, assumindo o seu protagonismo na busca constante de autoconhecimento e autodesenvolvimento, para garantir a sua relevância e empregabilidade. Somente a partir do conhecimento dos seus talentos, pontos fortes e de melhoria, será capaz de definir e perseguir seus objetivos profissionais de forma assertiva.


As empresas são formadas por pessoas, que trabalham para entregar serviços ou produtos para outras pessoas. Então faz todo sentido focar nas habilidades essenciais que nos diferenciam das máquinas e podem ainda salvar os nossos empregos, além de garantir maior sustentabilidade às nossas empresas!


Como andam as suas soft skills, e as de seus colaboradores?


Alexandra Sanglard