Buscar
  • Alexandra Sanglard

Fui promovido(a). E agora?



Esse pensamento, que mistura na mesma medida excitação e ansiedade, é muito frequente entre gerentes que acabaram de ser promovidos, especialmente os mais jovens. Excitação, em primeiro lugar, porque afinal uma promoção é sempre algo a ser comemorado, é sinal de reconhecimento, representa uma mudança de status, prestígio e normalmente está associada a ganhos financeiros. Entretanto, em geral, traz consigo também certa apreensão, tanto maior quanto for o despreparo do profissional para assumir a nova função.


Não é raro acontecer de um profissional ser promovido “da noite para o dia”, sem um trabalho de treinamento ou orientação, e nem mesmo de avaliação do seu potencial para ocupar uma posição de liderança. Isso é lamentável, já que muitas vezes se perde um excelente vendedor ou especialista para se ganhar um gerente mediano. Não que a liderança não possa ser desenvolvida - e essa é a boa notícia dos recentes estudos sobre o tema, mas é algo que exige tempo e conhecimento, recursos que nem sempre estão disponíveis aos novatos na função.


É preciso, antes de tudo, entender que as competências que conduziram o profissional até esse momento não serão suficientes para que ele, a partir de agora, enfrente os desafios da liderança. O novo gerente precisa, acima de tudo, ter a humildade de reconhecer que tem muito a aprender, pois precisará desenvolver novos conhecimentos, habilidades e atitudes para ser bem-sucedido.


Para que saiba quais as habilidades que precisa desenvolver ou potencializar, pode ser necessário um trabalho de autoconhecimento, que lhe ajude a ter maior consciência dos seus pontos fortes e daqueles que precisa melhorar. Somente sendo capaz de se conhecer e de se autogerenciar, será realmente capaz de gerenciar outras pessoas.


É muito importante que o líder tenha uma postura proativa no sentido de buscar o seu autodesenvolvimento, em vez de esperar que a empresa o proporcione, pois na maioria das vezes isso não vai acontecer. Buscar também esclarecer as expectativas de seus superiores em relação ao seu trabalho, sem tentar adivinhar. Isto pode evitar muitos mal-entendidos e frustrações no futuro.


O novo gerente vai descobrir também que não pode mais compartilhar todas as suas angústias e apreensões com os velhos amigos, pois com a nova posição, surgem outras responsabilidades e uma nova postura é exigida dele. Não significa que ele não poderá mais ser amigo dos seus colegas de trabalho, nem almoçar com eles. Na verdade, deve manter-se próximo da sua equipe, mas precisa se relacionar de uma forma profissional com todos, sem preferências ou restrições. Deve ser um exemplo a ser seguido e agir de acordo com o que prega, para ser respeitado e inspirá-los a dar o melhor de si.


Uma das competências mais importantes de um líder é a habilidade de gestão e desenvolvimento de pessoas. Os seus resultados passam a ser atingidos por meio das outras pessoas e, como não há performance sem desenvolvimento, você deve criar condições para que elas aprendam e se desenvolvam, melhorando a sua capacidade de ação. 


Isso está lhe parecendo meio complicado ou um pouco assustador? Não desanime, aposte nos seus pontos fortes, aqueles que provavelmente fizeram você chegar até aqui, e procure desenvolver outras competências que possam te ajudar a alavancar a sua carreira e a dos seus liderados. Lembre-se de que, de agora em diante, o seu sucesso depende da sua equipe e você será tão forte quanto cada um deles.


Por fim, pense em superiores que diretamente impactaram na sua carreira, ou mesmo em grandes líderes que o influenciaram de alguma forma. O que faziam e como se comportavam esses líderes? O que os diferenciava das outras pessoas? Pode ser uma boa fonte de inspiração para você. Que tal compartilhar aqui? Esses bons exemplos podem inspirar outras pessoas também.


Boa sorte. Acredite em você!


Alexandra Sanglard


#novogerente #coachingdelideranca